A outra

Ia nascer. Por insistência do pai deveria ter um nome forte. Um nome para marcar sua passagem pela terra.

Nasceu Lua.

Ainda pequena brilhava mais do que o normal.

Ao cair da noite ela olhava para o céu.

Apontava para o alto e dizia:

ó, a Outra.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s